Versos a dois
Postado por Maha - | Categorias: ]

Quero ver-te, quero ter-te,
Quero parar o tempo ao ver-te.
Quero parar meu tempo ao ter-te.
O tempo para por instantes quase eternos na tua presença,
tua ausência é uma vida longa e triste,
teu sorriso, teus lábios, tudo faz de ti versos.
Distante e próximo.

Não te surpreendas se a noite te sussurrar
dizendo-lhe tudo sem pudor ou medidas
Palavras desmedidas, o aceite da tua língua no meu corpo
Que suga de mim minhas próprias palavras
E me furta de dizer qualquer coisa
Num instante de total entrega

Prefiro que recites teus versos quando estiver dentro de ti,
possuindo teu ser.
Deixando tua voz embriagada de prazer,
quase sem poder dizer uma palavra,
tu aceitas minha língua em teu sagrado corpo,
sugando tuas palavras e tomando pra mim o queres me dar.
Entrega-se sem total pudor. 
Entrega-se em total amor.

Embriagarei-me nas tuas palavras, no teu corpo.
Terei espasmos de prazer apenas vendo o que fizeres comigo. 
Aceito tua língua, aceito tudo que me ofereces.
Desde que seja por inteiro. 
Desde que seja meu e teu, apenas
esse instante será só nosso

Instantes eternos eu sei.
Por inteiro serei.
Te oferecerei o meu mais puro sentimento,
Que guardes como o teu.
Descanse seu corpo junto ao meu.
Teremos tempo para recitar e recomeçar.

Em cada verso teu sinto meu corpo se reagir como se fosse a última das delícias
Arrepio-me! Sinto cada pelo... cada mamilo que roça a blusa
Não! não é o frio... a dilatação e a secreção que saem de dentro sabem bem que caminho querem tomar
Acham que conhecem o autor dos versos que as chamam
Mas tornam-se temporariamente ilusórias...
Pois nasceram expectativa...

Expectativa sim, como não?
Criar, projetar e amar como não?
o amor chama sem avisar.
Conhecer, ter, querer, desejar é natural.
Deixe os caminhos livres para o autor entrar.
Deixe seu corpo desejar quem te deseja.
Beijar seus mamilos,
beijar seus pelos arrepiados beijar seus versos.
Ilusão, expectativa tudo parte do ritual do amor.
Calarei todas as expectativas e ilusões em verdades farei.

Porque abri minha vida pra você?
Porque digo o que penso, me abro inteira, revelo-te os mais secretos segredos, os mais quentes sentimentos?
A resposta ainda não é exata... e nem quero que seja...
não há matemática, filosofia, qualquer ciência que me convença...
E não é que um grego, com o qual nem a retórica de Aristóteles pôde,
visitou o meu coração e virou um ladrão?

Não há ciência no mundo que explique como
um grego se transforma num ladrão de corações.
Explicar o quê? pra quem?
Não há fórmulas nem tão pouco pensadores
que consigam guardar segredos de um coração roubado.
Roubar-lhe-ei seu coração quantas vezes tu quiseres.
Cuidarei e amarei sempre que me permitires.

Eu tenho medo!
Não sei de quê, por que, de quem... Apenas temo.
Sentir o que sinto me parece quase um pecado mortal
Já senti... já vivi... já me iludi...
Amei até! Será?
Sinto mesmo é que a vida é um ciclo...
Pra tudo há um recomeço.

1 Comentário(s), faça o seu também!!!

EU SOU NEGUINHA disse... @ 28 de fevereiro de 2010 11:17

Viva...entregue-se...saia do medo e abra um novo ciclo de amor...
Beijos em ti,saudades

Postar um comentário

Faça seu comentário, será bem vindo!
Todos os comentários serão moderados, então por favor não escreva ofensas ou faça alusões a qualquer tipo de preconceito.

Os comentários dos leitores não refletem as opiniões do blog.

Posts Relacionados