Postado por Maha - | Categorias: , ]

Essa historia é verídica, é de uma amiga psicologa famosa e tive o privilégio de saber. Infelizmente ela já não está entre nós.

Tirei algumas linhas por conter informações pessoais, mas de resto segue o texto como recebi, achei interessante postar por saber que muitas pessoas passam pela mesma situação. Espero que vocês tirem o maior proveito, aprendam e coloquem em prática em suas vidas. Sei que muitas pessoas não iram concordar com o texto, mas isto é o mais importante saber respeitar o pensamento e desejo do próximo.

Até mais...

SAÚDE E PAZ, o resto... trabalhando vem!

Meu amigo vou lhe contar algo que poucas pessoas sabem e que devo compartilhar com você, espero que aprenda algo e que faça bom uso desta historia, a minha historia.

Conhece a historia de João que gosta de Maria que gosta de José? Existem muitas mulheres que passam por isso muito mais do que você possa imaginar, na verdade posso até dizer que boa parte de todos os problemas são gerados tomando como base esse enredo tanto para os homens quanto para as mulheres, infelizmente mais para as mulheres devido a sua criação e a visão fantasiosa que cresce dentro da mulher. Nos homens a coisa é mais fácil, o homem é pratico com seus sentimentos, não estou dizendo que não sabem amar, mas que na verdade não carregam dentro de si um ideal de mulher. Quando um homem conhece uma mulher que lhe satisfaz e se compromete com seus objetivos isto já são motivos suficientes para um homem querer ficar com ela, é claro que existem outros pontos.
Certa vez conheci um homem muito belo e simpático, um homem de verdade daquele que sabe valorizar uma mulher, cuidar, dar carinho e atenção, os ingredientes chaves para uma mulher se sentir amada. O seu nome é Gilberto, eu estava acabando de sair de um noivado desastroso e sem futuro e ele estava também noivo, ou melhor, praticamente morando junto com sua noiva. Não sou a favor de relacionamento a três, mais com o Gilberto foi diferente, ele foi entrando na minha vida aos poucos e sentia que ele realmente me amava, mas a situação dele me incomodava e por vezes me deixava desolada. Porém, ele era realmente o cara que eu nunca conhecera, um homem que fazia de tudo pra me ver feliz e sem que eu pedisse nada, ele dizia que me ver sorrindo já lhe fazia feliz, se preocupava comigo, dava atenção nas horas que mais precisava e era divertido, enfim, um cara especial na minha vida. Eu dizia isso a ele, sabia que suas intenções comigo eram as melhores, não era um aventureiro atrás de uma amante ou sexo casual.
O tempo foi passando e nossa relação foi ficando mais intensa, mais forte, eu dizia que estava apaixonada por ele, que queira ficar com ele, coisas assim, e tudo era a mais pura verdade. Mas não queria ficar com ele estando com sua noiva, não queria ser a segunda, a outra. E por isso, acho que terminei me afastando dele, mantendo a distância correta, nunca tive a intenção de me afastar dele, ou que ele se afastasse de mim, sair da minha vida NUNCA!! Eu realmente havia conhecido o homem ideal pra mim.
Mas de súbito me peguei a pensar em outro cara que havia conhecido o “JOSÉ” vou chamá-lo assim, apenas “José”, aquilo mexeu comigo, comecei a fazer e dizer às coisas que mais ouvi e vi nestes anos todos trabalhando como terapeuta, dizia pro Gil - “gosto de você como amigo”, ele nunca entendeu como eu poderia ter mudado com ele de repente, a nossa rotina já passará por mudanças desde que decidi manter a distância, sair com ele então já ficava mais raro, eu sempre tinha uma desculpa e por vezes a desculpa mais esfarrapada do mundo, mesmo assim ele nunca saiu do meu lado, sempre me ligava pra saber como eu estava e outras vezes me ligava apenas pra ouvir minha voz e desligava, eu gostava daquilo não vou mentir, me sentia desejada, me sentia querida e cuidada por alguém e esse, eu sabia que gostava de verdade de mim, não sei por que mudei com ele é algo que hoje não saberia responder, de repente o fato dele ainda estar com a sua noiva, apesar de saber que não gostava mais dela e que seu coração simplesmente era meu. Eu simplesmente desisti dele não lutei, não demonstrei o quanto era importante pra mim, sei lá...
Quando ele ficava uns cinco dias sem me ligar, eu ligava pra ele e queria saber como estava sua vida e coisas do tipo, na verdade eu tinha medo que ele saísse da minha vida. Já sentia que ele fazia parte dela, ficava feliz ao receber flores dele e o simples fato de receber uma ligação era motivo pra eu estampar um sorriso em meu rosto isso era evidente até para meus amigos. Falando em medo, esse é um dos maiores vilões nessas historias, todos nós temos medo e fazem com que tomemos atitudes que nem sempre condizem com nossa vontade, MEDOS apenas MEDOS! Não queria que o Gil saísse da minha vida, mas ao mesmo tempo dizia pra ele que gostava como amigo, sendo que na realidade sabia que no fundo eu gostava dele sim e não apenas como amigo, não queria aceitar isso porque estava esperando o “José”.
Um dia o Gil me ligou dizendo que se separou pra ficar comigo, mas eu já estava com meu foco no José e naquele momento percebi que a vida estava me pegando uma peça. Quando disse ao Gil que estava saindo com outro, vi nos seus olhos o sofrimento e sei que sofreu muito por estar amando alguém que não correspondia, mesmo assim ele ficou ao meu lado da mesma maneira, se preocupando, dando força, ajudando, cuidado e sempre tentando mostrar que ele me amava. Não desistiu de mim mesmo sabendo que eu estava com o pensamento noutra pessoa. Na verdade eu desisti dele, desisti no instante que não lutei por ele, que não paguei pra ver no que ia dar.
No começo minha relação com o José era algo parecido com estar apaixonada, era apenas sexual, ele me ligava pra eu passar o final de semana em sua casa, eu ficava a espera do final de semana pra estar com ele, nesse tempo deixava o Gil de molho, sem sair com ele nem mesmo pra almoçar, não ligava mais, bem, simplesmente estava à espera do José e escondendo dentro de mim aquele “meu amigo”, mas mesmo assim não queria que ele se afastasse de mim, como eu poderia exigir isso dele? Como poderia eu dizer pra ele desistir de mim? Impossível até pra mim mesma, sabe por quê? Por que eu sabia que gostava dele e que lá no fundo tentava me iludir dizendo pra mim mesma que ele era meu melhor amigo, meu grande amigo, tudo balela, todas as conversas que sempre ouvi das minhas pacientes, papo de mulher que está com a cabeça pensando em outro, esta é a verdade simples e pura aliado ao medo de gostar de alguém que goste da gente (esse é mais complicado). Medo de acreditar que realmente alguém possa gostar de nós e que não precisamos ter que correr atrás como toda mulher sempre faz, sempre correndo atrás de um homem, esquecemos que na verdade o amor tem que ser recíproco e verdadeiro, não temos que fazer de tudo pra que o nosso companheiro não nos dispense. A mulher cresce com a idéia de um homem idealizado em sua cabeça desde a infância, uma hora na forma do Pai, depois na adolescência, o nosso príncipe encantado, daí pra frente mudamos apenas os nomes, mas o fato é que ainda continuamos com a idéia de homem perfeito em nossas cabeças, o companheiro ideal, existem mulheres que acreditam fielmente em alma gêmea ou homem do destino. Muitas de minhas pacientes de 30 e 40 anos ainda estavam com a idéia de homem perfeito em suas cabeças e esquecem olhar para o lado e ver que a vida é real. É mais comum ainda quando uma mulher vem de um trauma relacionado à desilusão amorosa ou afetiva, ai esse quadro é mais complicado porque o medo (olha ele de novo ai) termina criando obstáculos e por vezes fazendo que a mulher passe por situações que ela nunca passaria, muitas se entregam ao sexo desenfreado realizando fantasias e explorando tudo nesse âmbito para se sentirem desejadas, outras se entregam as drogas, outras ao suicídio e em alguns casos a tratamentos mais intensos. Existem diversos tipos de medos, eu iria ficar uns dias escrevendo sobre eles, mas um dos principais é o “medo de se relacionar” e esse por si só já é bastante difícil de lidar, ele gera muita insegurança entre outros problemas, a pessoa fica demasiadamente sensível ao erro dos outros e com medo daqueles que a rodeiam, deixando-a num estado de carência afetiva, meu amigo, quando isso acontece fica difícil de saber o que exatamente acontece na cabeça de tal pessoa, elas se apegam tão rápido quanto desapegam de uma determinada pessoa, no começo ela trata quem está ao seu lado como "DEUS" e depois de um tempo simplesmente não passa de um “qualquer” ao seu lado. Conheci muitas mulheres neste estado, que se envolveram com pessoas que não tinham nada haver com elas e depois simplesmente disseram tchau, a carência tem vários níveis de complexidade. Há o medo de assumir a responsabilidade de gostar de uma pessoa que nos ama, isso é incrível pra muitas pessoas, mais muito difícil pra quem vive essa situação. Há ainda, o negar a si próprio, enfim são muitos pode apostar. É mais fácil você gostar de uma pessoa que não sente nada por você, assim se não der certo você não tem responsabilidade sobre o relacionamento.
Voltando.... Fiquei na espera do José e esse nunca se decidiu, passei meses esperando e nesse tempo o Gil sempre esteve por perto, certa vez fui fazer um curso e terminava tarde, acredite meu amigo por varias vezes da sala de aula eu via o carro do Gil parado na rua, nunca desistiu aprendeu a manter a distância que eu impusera. 
Uma vez eu recebi flores do Gil e foi como se meu coração dissesse ele ta aqui, nunca entendi porque realmente não me dei à chance de ser amada por ele, todos querem e anseiam por alguém que nos ame e eu tinha ali ao meu lado e sabia que eu gostava dele também. Fui procurar meu terapeuta e numa conversa informal deixei escapar essa situação e ele gentilmente me disse – aprenda com essa situação e ajude outras mulheres que passam pelo que você esta passando. Foi assim que entrei pro “ramo” e me dei bem não posso mentir ajudei muitas mulheres.
Eu pensava, como pode? eu psicóloga, cair numa pegadinha da vida como esta. Eu pensava, como posso negar o que sinto de verdade pelo Gil? Eu dizia pra ele que não queria vê-lo sofrer que não queria lhe dar esperança, negava-lhe as coisas mais simples como deixá-lo fazer um carinho no meu rosto ou simplesmente almoçar com ele, ir ao teatro, cinema enfim coisas que amigos fazem, ora não era isso que eu dizia a ele “você é meu amigo, o melhor!”, então porque não fazer essas coisas simples que amigos fazem? Na verdade eu tinha medo de me apegar mais a ele e dizia que não queria machucá-lo, machucar mais? Como? Na verdade eu tinha medo de me machucar essa era a verdade e esse quadro é o mais comum nas mulheres. Aprendi e senti na pele o que é ter seus sentimentos revirados e expostos.
Perdi as contas de quantas vezes ficava esperando o José vir pra fazermos amor, muitas vezes usei de artifícios manuais para me dar prazer, hoje vi que fui egoísta até neste sentido e aprendi que se você não quer machucar aquele que gosta de você então faça com que ele sinta que é especial pra você, ai pensei então, porque em vez de usar meios manuais pra obter prazer não convidava “meu amigo” pra sair e de repente “ficar” com ele, hoje é muito comum mulheres terem dois parceiros sem compromisso, eu não estaria machucando ao Gil e sim me dando a chance de fazer amor com quem realmente me amava, tenho certeza de que ele não iria sofrer por isso, mas meu medo não deixava e meu foco estava naquele que nunca me amou de verdade. Certa vez dei uma palestra pra formandos e fui duramente criticada por dizer o que acabei de citar acima e hoje vejo que alguns daqueles formandos adotaram em suas rotinas o “NÃO NEGAR O QUE SE SENTE”. Fiquei feliz, valeram as criticas. Com isso ajudei a muitas de minhas pacientes a verem o que realmente estava na cara delas, gosto de passar todos os tipos de informações aos meus pacientes e deixo por conta deles analisarem os seus sentimentos e caminhos a tomar, sempre os motivei a realizar, experimentar e analisar tudo, não sou daquele tipo de terapeuta que apenas ouvi, gosto de interagir com a evolução de meus pacientes.
Como era de se esperar o Gil foi se afastando aos poucos e saindo da minha vida, quando me dei por conta, ele já não estava mais ali, isso me perturbou, fiquei aflita e triste por que sabia que tinha perdido um homem faria de tudo pra me fazer feliz e nem mesmo dei a chance a ele. Senti a dor de perder alguém especial. Não acredito em alma gêmea, homem perfeito ou homem do meu destino, acredito simplesmente que temos a capacidade de amar e de ser amado, todos os seres humanos nascem com esse dom. Mas é difícil encontrar a pessoa que esta disposta, ou melhor, a pessoa que nos ame sem interesse, se encontramos tal pessoa temos o dever de no mínimo dar a chance não pra ele, mas para nós mesmos. É um tremendo engano achar que estamos dando a oportunidade de ouro pra essa ou aquela pessoa, na verdade nós estamos nos dando à chance de experimentar esse dom. 
Passaram alguns meses depois que o Gil se foi quando percebi que o José não iria mais sair da ilusão, até nossos encontros estavam mais fracos e sem o calor inicial, como era de se esperar sabia que se eu deixasse iríamos ficar assim por mais uns anos e não queria isso para minha vida. Senti um vazio, longe daquele que sentia no começo. Sei que fiz o Gil sofrer por muitos meses acalentando um amor não correspondido, entendi sua atitude de se afastar, imagino a dor que ele sentia ao saber que seu “amor” não o queria. Sempre fiquei com a sensação de que tinha perdido o “homem especial na minha vida”, meus medos não me deixaram usufruir nem de seus carinhos quando eu mais precisava, nunca me dei conta da quantidade de vezes que ele me convidará pra sair e eu disse não, quantas vezes ele perguntava se eu queria uma massagem pra relaxar e eu boba dizia que não. Eu dizia pra mim mesma que ele era apenas um amigo, nunca me dei conta que ele sabia que eu gostava dele não apenas como amigo esse sentimento não tem como disfarçar, os olhos nos entregam, quantas vezes eu vi esse olhar nas minhas pacientes quando elas falavam de um ou outro sujeito, eu as encorajava a ver dentro de seus corações e analisar o que realmente sentiam por tal pessoa. Sempre disse “Se dê a chance de ser amada”, não fique correndo atrás de uma pessoa que não te ama, valorize o que há de melhor em você.
Há alguns anos encontrei por acaso o Gil numa estação do metro, quando ele me viu abriu um sorriso maravilhoso, senti meu coração acelerar, fiquei num estado de felicidade e êxtase por alguns segundos imagina sentir isso aos 60 anos, ele veio em minha direção e me abraçou por uns segundos como sempre o fazia. Conversamos por horas, fiquei sabendo que ele casou, tem três filhos e em uma das meninas colocou o meu nome que inclusive se formou em psicologia, fiquei muito feliz de revê-lo, vi em seus olhos o carinho que ele ainda sente por mim e nossa amizade voltou à tona, fui a casa dele conheci sua mulher e seus filhos, e vi que ele está feliz.
Escrevendo isso pra você, fico pensando nas coisas que nunca falei para meu amigo Gil, amanhã cedo vou ligar pra ele e dizer o quanto fui idiota e boba por deixá-lo sair de minha vida e o quanto na verdade eu o amei, acho que ele merece ouvir isso, sei que não mudará em nada nossa amizade.
Trocaria tudo o que tenho hoje, pela chance de ter sido amada de verdade e não tive a oportunidade de me realizar como mãe de família, de repente, minha vida iria tomar outro rumo, mais minha escolha não foi essa. Sim, tive outros amores depois do Gil é claro que sim, mas em todos que conheci não senti o calor, não senti o amor. Mas como meu terapeuta disse – aprenda com essa situação e ajude outras mulheres. Acho que me sai bem nessa tarefa.

13 Comentário(s), faça o seu também!!!

Anônimo disse... @ 30 de setembro de 2008 21:02

Adorei!!!!!!!

Agora posso entender o que realmente acontece comigo... Acho que meus medos tomaram conta de mim.

Vou a luta!

Anônimo disse... @ 30 de setembro de 2008 21:05

Muita coragem dessa psicologa ter dito tudo isso.

É muito bom saber que pessoas que tem por vocação ajudar os outros entram numa pegadinha da vida.

Gostei muito parabéns!!

Anônimo disse... @ 30 de setembro de 2008 21:09

Quando comecei a ler achei que fosse uma conversa fiada.
Mas no final me vi na pessoa dela.
Passei por uma situação semelhante e no final também fiquei só e hoje sei que quando realmente se encontra alguém que goste da gente temos mais é que pegar na mão dele e ser feliz.

Mas tenho certeza de que vou encontrar uma pessoa a altura daquele que perdi.

Anônimo disse... @ 30 de setembro de 2008 21:13

Vou fazer meu comentário sobre este post de maneira simples.

NÓS MULHERES SOMOS RELAMENTE TOLAS!!

Quem dera fossemos como os homens práticos com diz a terapeuta e concordo com ela, fantasiamos demais e esquecemos de olhar pra frente e ver que o mundo é real mesmo.

Gostaria apenas de saber se ela contou tudo pro seu amigo?

Maha tem como vc me contar se é que vc sabe.

Simone - SP

Anônimo disse... @ 30 de setembro de 2008 21:20

Cara sensacional!!!

Tenho 35 anos e acabei de dar um fora num cara (amigo) que gosta de mim. Ele é exatamente como o amigo (João) da historia e também não sei porque fiz isso, gosto dele pacas mas não sei se gosto como amigo ou de repente se tenho medo de descobrir que gosto dele como homem na minha vida.

Entendi a questão dos MEDOS, mas e quando nós não sabemos diferenciar o gostar?
Acredito que a resposta é tentar... é isso que vou fazer, porque to cansada de ficar correndo atrás de garotos mais novos que eu e no fim ser trocada por uma patricinha de 25 anos.

Mulheres não se enganem porque é exatamente isso que acontece, depois de uns meses nós viramos velhas pra eles, mas enquanto estamos na cama somos o amor deles.

Valeu pelo desabafo!

Cristina - Campinas

Anônimo disse... @ 30 de setembro de 2008 21:32

Todos os comentários refletem com exatidão a vida das mulheres.

Sou terapeuta de casais há pelo menos 10 anos, nesse tempo observei muitos casos como este e posso dizer que em 97% o fim é assim mesmo. As mulheres fantasiam e ainda carregamos dentro de nós, uma herança genética com relação aos homens, temos a tendência a esperar e encontrar o HOMEM PERFEITO, isso nunca acontece porque em nossa visão eles são perfeito demais.

Tenho algumas pacientes que estão com esse problema e são pacientes de 30 a 40 anos, todas vindas de desilusões profundas e complexidades de relacionamentos. Posso afirmar que o nosso mundo é bem mais dificil de lidar do que os dos homens.


Ana Lúcia Medeiros
Psicologa em São Paulo

Anônimo disse... @ 30 de setembro de 2008 21:45

Muito interessante.

Vou concordar com minha amiga Ana Lúcia, em seu comentário ela fala dos que os problemas femininos são mais dificieis do os dos homens, em partes sim, porém, os homens passam por situações semelhantes muito embora não se comparam com as mulhreres.
Agora pensem bem, como fica a cabeça de todos os "Joãos" que são descartados e ainda por cima tem seus sentimentos tratados como se fossem papel higiénico?

Estes homens por muitas vezes não procuram terapia por achar desnecessário mas em sua fase mais aguda eles sofrem e muito mais que as mulheres, porque o homem quando ama de verdade uma mmulher e é descartado ele sente que sua masculinidade e virilidade estão em cheque.
Não podemos achar que os homens são fortes sempre. Sentimento é igual a todos.

Por isso vou concordar com a autora da historia, Se vocês tem alguém que gosta de você de verdade, SE DÊ A CHANCE DE SER AMADA!!

Essa é afórmula que digo sempre pra todas as mulheres.

Não esperem por uma ALMA GÊMEA, PRÍNCIPE ENCATADO, HOMEM PERFEITO, HOMEM DO SEU DESTINO. ISSO NÃO EXISTE, o que existe é você encontrar alguém que goste de você e que esteja querendo te fazer feliz o resto vem com o tempo.

Marcio Pompeu
Psicologo do Rio de Janeiro

Anônimo disse... @ 30 de setembro de 2008 21:55

Olá Maha,

Meu nome é Mariana sou de BH e tenho 34 anos, vivo uma situação igual a da historia. Depois de ler fiquei emocionada com a atitude que a sua amiga teve ao lidar com seus medos, fiquei triste em saber que no final de sua vida ela não conseguiu se realizar como mãe, é uma pena!

E sei como é ter seu coração dividido, sinto que minha hora de mãe esta chegando sei que posso ter filhos até os 40 anos com tratamentos e etc... Gostaria de tê-los com a pessoa que eu escolher pra ficar ao meu lado pro resto de minha vida, não acredito em fantasias mas me vejo hoje a espera de um cara maravilhoso que conheci a dois anos e um "amigo" que sei que faria tudo por mim, sinto falta dele agora que se afastou por causa do meu namoro, não posso condena-lo por isso.
As vezes penso será que se não der certo ou se eu não for querer esperar mais ele vai me querer ainda?

Anônimo disse... @ 30 de setembro de 2008 22:03

Amiga Mariana.

Não sou a dona da verdade, mas aconteceu comigo a mesma coisa e agora descobri que na verdade aquele amigo que sempre tentou e nunca dei chance não está mais disponivel eu senti muito a perda. Mas senti apenas agora que não estou mais atrás do fdp do outro, passei um ano correndo atrás de um cara que só queria sexo.

Se conselho fosse bom, venderia mas mas neste caso vou te dar de graça, se tu gosta do seu amigo de verdade, reflita bem e se dê a chance de ser amada, porque ficar correndo atrás de quem não quer nada é fria!!!

V o u m e d a r a
c h a n c e d e s e r
F E L I Z!

Luciana

Anônimo disse... @ 30 de setembro de 2008 22:09

É isso ai corra atrás de quem gosta de ti garota.

Pra que ficar correndo atrás de um monte de homens que só querem passar o final de semana com a gente.

Somos mulheres queremos homem de verdade aquele que sabe tratar bem uma mulher, cuidar, amar, proteger, idolatrar, trepar, desejar.
Eu encontrei o meu, alias ele me encontrou, espero que todas vocês encontrem!!!

Marcia - RS

Anônimo disse... @ 30 de setembro de 2008 22:27

Maha parabéns pelo post!!!
To vendo que fez sucesso do Blog.

Ser Vagabundo no mundo gostei disso. risos

Lendo a historia me fez voltar ao passado recente. Eu tinha 35 quando conhecei um cara de 29 que eu achava ser homem com "H", no começo era puro sexo e aquelas confissões de te amo pra cá e te amo pra lá, nessa época eu saia com um grande amigo nós já tinhamos tido um lance antes mas esfriou e continuamos amigos, mas ele sempre tentou me reconquistar e eu sempre esquivava, eu dizia as mesmas coisas que "Maria" da hitoria que gostava dele como amigo que não ia mais rolar e por ai andava a fila de desculpas.

Fiquei dois anos com o cara que achava ser homem, quando completei 37 queria ter filhos e pro meu espanto ele disse que não queria porque iria atrapalhar o que nós tinhamos de bom o sexo.
Conclusão perdi dois anos de minha vida ao lado de um cara que não queria responsabilidade, quando terminei, ele nem esboçou voltar ou reatar, nada, simplesmente pegou outra e a fila andou.
Reencontrei meu "grande amigo" e não tive medo e tentei, o meu maior medo era ele me reijeitar e falar um monte de bosta o que seria natural, afinal quem deu um chute nele fui eu, mas não o cara é o HOMEM mesmo.
Estou casada com ele e esperando nosso primeiro filho e ele quer ter mais um ainda.

Espero que minha peq. historia ajude outras mulheres. Não tenham medo de correr atrás de quem te ama de verdade.

Sucesso no blog Maha gostei mesmo.

Camila T. Silva

Anônimo disse... @ 3 de outubro de 2008 21:48

Vou fazer minha contribuição neste post.

Meu nome é Miguel.. e levei um tremendo de um fora de uma mulher que pensei gostar de mim.

Passei por situações que nunca imaginei por amar.

Comecei a perceber que ela não gostava de mim quando todas as vezes que a convidava pra sair ela dizia NÃO!
Um dia vi ela saindo de sua casa junto com um mané, foi ai que a ficha caiu! Enquanto eu a cortejava ela saia com outro.

Uma tremenda VAGABUNDA!!!! isso sim, hoje não quero nem passar perto dela.
Concordo com o amigo ai do Rio que diz que os homens sofrem também e é a mais pura verdade, porque sofri muito.
As mulheres quando estão saindo com um homem simplesmente esquecem do antigo parece que nunca existiu.

Valeu!

Carol disse... @ 14 de janeiro de 2009 11:10

Maha, simplesmente esse post é uma realidade para muitas mulheres.
Passei por uma situação semelhante, quando me dei por conta já estava envolvida com dois e a dúvida crescendo mais e mais na minha cabeça.
Resolvi ficar com o "José" achando que se não desse certo voltaria correndo pro "João". Triste ilusão!!

bj

Postar um comentário

Faça seu comentário, será bem vindo!
Todos os comentários serão moderados, então por favor não escreva ofensas ou faça alusões a qualquer tipo de preconceito.

Os comentários dos leitores não refletem as opiniões do blog.

Posts Relacionados